Pesquise o assunto desejado aqui

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Classicismo

O Classicismo (Renascimento Clássico)

Leia este poema para responder às questões de 01 a 04

Sôbolos rios que vão
por Babilônia, me achei,
Onde sentado chorei
as lembranças de Sião
e quanto nela passei.

Ali, o rio corrente
de meus olhos foi manado,
e, tudo bem comparado,
Babilónia ao mal presente,
Sião ao tempo passado.

Ali, lembranças contentes
n'alma se representaram,
e minhas cousas ausentes
se fizeram tão presentes
como se nunca passaram.

Ali, depois de acordado,
co rosto banhado em água,
deste sonho imaginado,
vi que todo o bem passado
não é gosto, mas é mágoa.

(Luís Vaz de Camões)

01. O poema tem como intertexto o Antigo Testamento, retratando o aprisionamento dos judeus por Nabucodonosor. Porém o poeta amplia o sentido do referente textual, e Babilônia passa a ser metáfora de:
A adversidade do momento atual em que vive o eu lírico.
Uma desgraça que atingiu o poeta em tempos pretéritos.
Uma desilusão pela qual o eu lírico sabe que irá passar.
A um contentamento que não tem mais retorno.
A uma tristeza profunda em que o poeta vive, desde os tempos passados.

02. Com relação à escansão, conclui-se que os versos são:
pentassílabos.
heptassílabos.
octossílabos.
decassílabos.
dodecassílabos.

03. O poema camoniano pertence a uma temática recorrente na produção poética do autor. Assinale a opção que traz essa temática:
Desconcerto do Amor.
Desconcerto do Mundo.
A viagem de Vasco da Gama.
A crítica à política expansionista portuguesa.
O erotismo.

04. Observe os versos:
Ali, o rio corrente
de meus olhos foi manado
Pode-se perceber neles a figura de linguagem denominada:
Eufemismo.
Ironia.
Hipérbole.
Catacrese.
Gradação.

05. NÃO caracteriza o Classicismo:
A visão universalista.
A retomada dos valores greco-romanos.
O uso de figuras mitológicas.
O racionalismo.
A subjetividade.

06. Em nível de produção textual, algo que diferencia Luís de Camões e Francisco Sá de Miranda é a produção:
em versos decassílabos.
em versos heptassílabos (redondilha maior).
inspirada em composições petrarquistas.
de caráter épico.
de caráter dramático.

07. O tom crítico e pessimista apresentado por Camões no epílogo de Os Lusíadas aparece em outro momento do poema. Isso acontece no episódio:
do Gigante Adamastor.
do Velho do Restelo.
de Inês de Castro.
dos Doze de Inglaterra.
do Concílio dos Deuses.

08. Na LÍRICA de Camões,
o metro usado para a composição dos sonetos é a redondilha maior.
encontram-se sonetos, odes, sátiras e autos.
cantar a Pátria é o centro das preocupações.
o desconcerto amoroso e o desconcerto do mundo são temas constantemente retomados.
a mulher é vista em seus aspectos físicos, despojada de espiritualidade.

Texto para a questão 09

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o Mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto.
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de amor espanto,
Que não se muda já como soía*.

(*) Soía: costumava
(Soneto, Luís Vaz de Camões. In: Literatura Comentada)

09. Com base no poema acima e nas características da poesia lírica de Camões, assinale a alternativa correta.
O eu-lírico canta um amor espiritualizado.
Para o eu-lírico, tudo no mundo passa, menos o amor.
É composto em redondilhas do tipo menor, ou seja, versos com cinco sílabas poéticas. 
O eu-lírico apresenta certa preocupação diante da efemeridade das coisas.
O eu-lírico lamenta a perda da mulher amada.

Leia atentamente o soneto abaixo e, a seguir, responda ao que a questão 10 pede.

Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?

10. Assinale a alternativa correta sobre o texto acima.
Expressa as vivências amorosas do eu lírico em linguagem emotivo-confessional.
Apresenta índices de linguagem poética marcada pelo racionalismo do século XVI.
Conceitua o amor de forma unilateral, revelando o intenso sofrimento do coração apaixonado.
Notam-se, em todos os versos, imagens poéticas contraditórias, criadas, inicialmente, a partir de substantivos concretos e, depois, a partir de abstrações.
Conceitua positivamente o amor correspondido e, negativamente, o amor não correspondido.









GABARITO: 1A - 2B - 3B - 4C - 5E - 6D - 7B - 8D - 9D - 10D

Nenhum comentário:

Postar um comentário